Tratamento da Rinite

Sintomas e Diagnóstico da Rinite

Nariz entupido normalmente em báscula (ora um lado obstruído, ora outro), coceira no nariz, espirros repetidos e coriza são os sintomas mais comuns de quem tem rinite. 

Para pacientes com rinite, é necessário sempre fazer uma avaliação com o otorrinolaringologista. Essa avaliação é importante para determinar se há alguma outra alteração nasal. Entre elas, desvio de septo nasal, pólipo nasal, hipertrofia dos cornetos inferiores, aumentos da adenóide, rinossinusite crônica, entre outros. 

É muito comum, por exemplo, haver uma certa confusão entre crises de rinite e episódios de rinossinusite aguda. Muitas vezes, o engano acaba causando o uso indevido de antibióticos para o tratamento desses pacientes. Além disso, outras questões, como o desvio de septo e o aumento das adenoides, também causam obstrução nasal. Por isso, acabam sendo confundidos com rinite. Porém, seu tratamento é completamente diferente.

Tipos de Rinite

As rinites podem ser classificadas a partir de critérios clínicos, da freqüência e intensidade dos sintomas e de suas causas. A classificação de acordo com a causa da rinite parece ser a mais adequada, pois está diretamente relacionada ao tratamento. De acordo com essa classificação, temos os seguintes tipos de rinite:

Rinite Alérgica:

  • Sazonal: os sintomas existem em apenas uma época do ano. São desencadeados pelo aumento sazonal dos agentes causadores, como pólen, flores e fungos, por exemplo. 
  • Perene: os sintomas estão presentes durante todo o ano e são causados por ácaros, insetos, fungos e animais domésticos.

Rinite Não-alérgica:

  • Infecciosas: são de etiologia conhecida, quer seja viral, bacteriana ou fúngica.
  • Não-infecciosas: idiopática, irritativa, eosinofílica não-alérgica (RENA), polipose nasal, sensibilidade a AAS, ocupacional, gestacional, hormonal, medicamentosa (induzida por vasoconstritores tópicos), por fármacos (AAS, anti-hipertensivos, antipsicóticos ou outro medicamento), do idoso, gustativa, alimentar, por frio, atrófica, emocional, associada a discinesia ciliar, associada a fibrose cística, granulomatose de Wegener, etc.

Orientações Gerais para Pacientes com Rinite

  • Retirar de casa tapetes, carpetes e cortinas.
  • Retirar bichos de pelúcia, livros e tudo que não for de uso constante.
  • Procurar sempre morar em locais onde os dormitórios sejam ensolarados.
  • Nunca passar a vassoura, usar somente pano úmido e/ou aspirador.
  • Evitar animais de estimação com pelos ou penas – cachorro, gato, periquito, papagaio, etc.  Se não houver outra opção, dê banhos semanais e evite ao máximo o contato direto e, principalmente, a circulação nos dormitórios. Dar preferencia àqueles animais de estimação que não soltam pelo.
  • Evitar áreas de umidade ou mofo. Elas podem ser a causa de todo o problema.
  • Usar edredon ao invés de cobertor.
  • Não usar roupas de lã. Dar preferência a materiais sintéticos ou algodão.
  • Realizar lavagem do nariz com solução fisiológica.

A avaliação com o médico otorrinolaringologista quando há queixas sugestivas de rinite é essencial. Afinal, o correto diagnóstico é fundamental para a condução do tratamento, que pode incluir medicamentos, dependendo de cada caso.