Cirurgia Plástica no Nariz: como é realizada?

Publicado em: 17/12/2019

cirurgia-no-nariz

A cirurgia plástica no nariz é um procedimento que busca remodelar a estrutura nasal. Realizada para fins estéticos, a rinoplastia, como é chamada esta cirurgia, é indicada para pessoas que buscam um aspecto facial mais harmonioso. Além disso, pacientes com problemas funcionais no nariz, como dificuldades para respirar, também podem, num mesmo procedimento, melhorar tanto a estética do nariz quanto a sua função.

Muitos pacientes procuram a cirurgia para melhorar aspectos estéticos, como a definição da ponta do nariz ou corrigir um dorso nasal muito projetado. Além das alterações estéticas, muitos procuram também corrigir problemas que atrapalham a respiração, como os desvios de septo e a hipertrofia dos cornetos. 

O ideal é que as alterações estéticas e funcionais do nariz sejam corrigidas no mesmo procedimento cirúrgico. Isto otimiza a recuperação pós-operatória do paciente, proporcionando benefícios estéticos e funcionais.

“Além disso, tecnicamente falando, é muito mais vantajoso operar um nariz que não foi operado previamente. Isto porque, nesses casos, as estruturas nasais estão preservadas. Principalmente, a cartilagem do septo nasal. Esta é uma estrutura muito importante para a execução de técnicas de rinoplastia modernas e com resultados duradouros.” – Dr. Waldir Carreirão Neto, Otorrinolaringologista e Cirurgião da Face (CRM/SC 10892 – RQE 8167).

Hoje, com a evolução das técnicas, a cirurgia plástica no nariz está cada vez mais precisa. Abaixo, falaremos mais sobre como é realizado esse procedimento cirúrgico.

Vias de Acesso para a Cirurgia Plástica no Nariz

A cirurgia plástica no nariz pode ser realizada através de duas vias de acesso. São elas:

Rinoplastia fechada: 

Nestes procedimentos, as incisões são realizadas apenas na parte interna do nariz.

Rinoplastia aberta: 

Nestes procedimentos, além das incisões na parte interna do nariz, uma pequena incisão é realizada na região da columela, que separa uma narina da outra. Atualmente, a cirurgia plástica no nariz por via aberta é a mais utilizada. Nela, pode-se ter uma visão mais precisa das estruturas nasais.

Para maior conforto e segurança do paciente, a cirurgia plástica no nariz, tanto por via aberta quanto fechada, é realizada com anestesia geral. Antigamente, o procedimento durava cerca de uma hora. Hoje, com a evolução da técnica, a rinoplastia primária (realizada em narizes que nunca foram operados) pode durar de 3 a 4 horas.

Resultados mais Naturais

Antigamente, a cirurgia plástica no nariz era realizada com técnicas mais agressivas. Os médicos costumavam retirar as estruturas que estavam “sobrando”. No entanto, a longo prazo (mais de 1 ano), observava-se que o nariz desses pacientes sofriam retrações e pinçamentos. Dessa forma, o bom resultado cirúrgico dos primeiros meses após a cirurgia transformava-se em um resultado não tão bom com o passar do tempo. 

“Isto deixava os pacientes com um nariz muito artificial, além dos problemas funcionais. Por este motivo, nos últimos anos, iniciou-se uma preocupação maior em realizar a cirurgia plástica do nariz a partir do reposicionamento das estruturas, em vez de retirá-las. Hoje, existe uma tendência maior à reforçar as estruturas nasais através de enxertos. Geralmente fabricados a partir da cartilagem do septo nasal) eles são estrategicamente posicionados em áreas chaves do nariz.” –  Dr. Waldir Carreirão Neto, Otorrinolaringologista e Cirurgião da Face (CRM/SC 10892 – RQE 8167). 

Esta nova forma de realizar a cirurgia plástica no nariz reduziu significativamente as complicações e surpresas da rinoplastia com o passar do tempo. Dessa forma, passou a proporcionar resultados mais previsíveis, esteticamente naturais e funcionalmente melhores. Esta é a chamada Rinoplastia Estruturada

Além da Rinoplastia Estruturada, outro marco na evolução das técnicas de Rinoplastia foi a chamada Rinoplastia Preservadora. Assim como na Rinoplastia Estruturada, a Rinoplastia Preservadora também defende abordagens menos agressivas. Prioriza a remodelação das estruturas nasais em vez de sua ressecção/redução. 

“A Rinoplastia Preservadora tem como característica principal o cuidado na identificação, preservação e reforço de estruturas nobres do nariz, principalmente alguns ligamentos nasais e áreas específicas do dorso nasal cartilaginoso e da ponta nasal.”  – Dr. Waldir Carreirão Neto, Otorrinolaringologista e Cirurgião da Face (CRM/SC 10892 – RQE 8167).  

Rinoplastia Estruturada

Na cirurgia plástica no nariz, os ossos e as cartilagens são manipulados. Dependendo da técnica utilizada, isso pode fazer com que toda estrutura nasal fique mais frágil e venha a ceder ao longo dos anos. 

Para reduzir significativamente este risco, a Rinoplastia Estruturada utiliza enxertos de cartilagem do próprio septo nasal do paciente. Eles são aplicados em locais específicos do nariz, reforçando a estrutura nasal. 

Esse é um dos motivos pelos quais as correções funcionais do nariz devem, preferencialmente, ser realizadas junto com as correções estéticas.

“Nos casos em que o paciente já realizou algum procedimento nasal funcional previamente (como a correção de um desvio do septo), provavelmente não haverá cartilagem do septo nasal suficiente para se utilizar na Rinoplastia Estruturada. Assim, poderá ser necessário coletar cartilagem de outra região do corpo, como as orelhas ou costela, por exemplo.” – Dr. Waldir Carreirão Neto, Otorrinolaringologista e Cirurgião da Face (CRM/SC 10892 – RQE 8167).

Na Rinoplastia Estruturada, uma atenção especial é dedicada ao desenho, definição e posição da ponta nasal. Para que o resultado seja duradouro, enxertos são posicionados com objetivo de aumentar o suporte da ponta nasal. Mantém, assim, sua forma e, principalmente, posição ao longo dos anos. 

Outra região para a qual a Rinoplastia Estruturada dá grande importância é o terço médio nasal. Trata-se da porção cartilaginosa do nariz localizada entre a ponta nasal e a porção óssea (porção mais superior e próxima dos olhos). Nela, os enxertos também são posicionados para reforçar sua estrutura. Dessa forma, garantem um contorno mais suave dessa região, principalmente na sua transição com a ponta nasal e com a porção óssea do nariz. Além disso, a técnica também otimiza a função respiratória nasal. 

Rinoplastia Preservadora

Através de estudos anatômicos detalhados da última década, novos conceitos de cirurgia plástica no nariz surgiram. Foi assim que originou-se a chamada Rinoplastia Preservadora. Nesta técnica, além da já reconhecida necessidade de remodelar e reposicionar as estruturas do nariz em vez de apenas reduzi-las, outros conceitos foram implementados. 

“Dentre as novidades trazidas pela Rinoplastia Preservadora destacam-se o reconhecimento, preservação e reconstrução de determinados ligamentos nasais, importantes na manutenção da forma e função do nariz. Além disso, o remodelamento das estruturas nasais nesta técnica é baseado, principalmente, no refinamento e aprimoramento de técnicas de sutura. Assim,  em alguns casos, possibilitam a utilização de manobras menos invasivas para se atingir o formato desejado do nariz.” – Dr. Waldir Carreirão Neto, Otorrinolaringologista e Cirurgião da Face (CRM/SC 10892 – RQE 8167).

Sinta-se bem e respire melhor. Faça a cirurgia plástica no nariz com profissionais experientes e atualizados. Os médicos da Clínica Carreirão podem lhe ajudar. Conte conosco!

Sobre o Autor

Waldir Carreirão
Waldir Carreirão
O Dr. Waldir Carreirão (CRM/SC 10892 RQE 8167) possui Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, com título de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial e Associação Médica Brasileira (AMB).

Também realizou Complementação Especializada (Fellowship) em Cirurgia Plástica Facial e Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Atualmente, é membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, membro titular da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face e membro da International Federation of Facial Plastic Surgery Societies (IFFPSS).

É Professor Adjunto de Otorrinolaringologia da Graduação de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina e Médico Otorrinolaringologista no Hospital Universitário da UFSC. Sua área de atuação dentro da Otorrinolaringologia possui Ênfase em Rinoplastia e Cirurgias Nasais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *