Protetor solar oral: dúvidas e respostas

Publicado em: 08/10/2021

protetor solar oral

Pode ser bonito, mas nenhum tipo de bronzeamento é saudável para a pele. A melanina que produzimos ao ficar expostos ao sol nada mais é do que uma resposta das células à agressão da radiação solar. Ela é produzida para envolver e proteger o nosso DNA, como uma capa protetora. Mas isso não é 100% eficaz.

Usar protetor solar diariamente é o principal cuidado que devemos ter para manter uma pele bonita por mais tempo. Além disso, é a melhor forma de prevenção contra o câncer de pele. 

Apesar de não substituir o uso do protetor em creme, o protetor solar oral pode ser um bom aliado contra os danos provocados pelo sol. Principalmente para quem tem melasma

Abaixo, a Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 – RQE 14991), Dermatologista em Florianópolis/SC, responde algumas das principais dúvidas sobre o protetor solar oral.

Posso trocar o protetor solar em creme pelo protetor solar oral?

Dra. Marcela: Não. O protetor solar oral diminui os efeitos do sol sobre a pele, mas não bloqueia os raios solares e seus malefícios 100%. Apesar de ajudarem bastante na manutenção da pele e da saúde, ainda não existe comprovação científica de que o protetor solar oral tenha a mesma eficácia dos filtros em loção, creme, gel ou spray.

Como devo usar o protetor solar oral?

Dra. Marcela: Ele deve ser utilizado como um complemento ao protetor solar que passamos na pele. Eles aumentam a nossa proteção de dentro para fora, agindo de forma sistêmica na proteção do DNA das células. Já os protetores solares convencionais atuam localmente.

Dessa forma, o protetor solar oral não consegue barrar a penetração de raios ultravioletas. Ele apenas ameniza os danos que a radiação solar provoca ao organismo.

Como essa proteção é realizada?

Dra. Marcela: O protetor solar oral costuma ser produzido à base de substâncias extraídas de plantas. O Polypodium leucotomos, que é uma espécie de samambaia rica em compostos antioxidantes, é a principal delas. Dessa forma, o protetor reforça as defesas da pele. Ele auxilia na prevenção de inflamações e ajuda na regulação imunológica do organismo.

Assim, em vez de bloquear a radiação do sol, o protetor solar oral age de outra forma. Eles ajudam a reduzir os efeitos nocivos, como as alergias, vermelhidões, manchas e flacidez provocadas pelo sol. Pode, inclusive, auxiliar no tratamento de melasma e ser um fator de proteção adicional para quem tem tendência a desenvolver o câncer de pele.

Clique aqui e veja como cuidar e tratar o melasma no verão.

Quais são as indicações?

Dra. Marcela: O protetor solar é indicado principalmente no verão. Pacientes em tratamento de melasma se beneficiam bastante do uso. Ele também pode ser utilizado como coadjuvante no tratamento de antienvelhecimento. Especialmente para quem que se expõem muito ao sol, por trabalho ou por diversão.

Também é interessante utilizar o protetor solar durante viagens em que você sabe que irá se expor mais ao sol.

Quais as contraindicações?

Dra. Marcela: É muito importante que os pacientes consultem um Médico Dermatologista antes de iniciar o uso do protetor solar. Apesar de poderem ser comprados em farmácias, o ideal é que esse tipo de produto seja manipulado de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Além disso, é muito importante que o médico dermatologista avalie a presença ou não de outras doenças de pele antes do uso do protetor solar.

Com o acompanhamento do Médico Dermatologista, cada pessoa saberá exatamente qual a dose, periodicidade, formulação e modo correto de uso de acordo com o seu estado se saúde e estilo de vida.

Cuide da sua beleza e da sua saúde. Consulte o médico dermatologista periodicamente e informe-se sobre o protetor solar oral. A Dra. Marcela Camera Carreirão está a sua disposição. Entre em contato

Sobre o Autor

Marcela Carreirão
Marcela Carreirão
Formada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista, a Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 RQE 10574 e RQE14991) é especialista em Dermatologia pelo Instituto Superior de Medicina Dermatológica de São Paulo e especialista em Cirurgia Facial, Otorrinolaringologia pelo Hospital Paulista.

Possui título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e pela Associação Médica Brasileira (AMB); título de especialista em Otorrinolaringologia pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL CCF) e pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Também é membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), membro titular da Academia Americana de Dermatologia (AAD), membro titular da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial e membro da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *