Preenchimento de olheiras: os 3 principais erros

Publicado em: 19/05/2021

Preenchimento de olheiras

Muitos pacientes chegam até a nossa clínica com queixas após realizarem preenchimento de olheiras em outros locais. A reclamação mais comum é a de que o procedimento PIOROU o problema.

Abaixo, vamos entender o motivo e como evitar esse transtorno.

Como o preenchimento de olheiras é realizado?

O preenchimento de olheiras é realizado com ácido hialurônico, uma substância presente de forma natural no nosso organismo. Este procedimento é praticamente indolor e dura cerca de 30 minutos. Com ele, é possível reduzir o sulco abaixo dos olhos e alcançar um olhar mais descansado.

No entanto, realizar o procedimento pode não ser a etapa mais importante desse processo. Antes disso, é fundamental fazer uma avaliação completa do paciente e identificar se ele ou ela tem realmente indicação para o preenchimento de olheiras. Os erros de indicação podem sim piorar o aspecto das olheiras.

Além disso, evitar erros na técnica de aplicação é muito importante, pois a aplicação equivocada do preenchimento de olheiras também pode piorar o problema.

Erros de indicação

As olheiras são um problema multifatorial. Elas podem ser provocadas por fatores, como:

  • Pigmentação escurecida abaixo dos olhos.
  • Vascularização aparente (vasos sanguíneos que aparecem por baixo da pele).
  • Sulcos (região abaixo dos olhos mais aprofundada).

Assim, é muito importante que o médico dermatologista responsável por realizar o preenchimento de olheiras avalie o paciente rigorosamente. Ele deve descobrir se a causa do problema é um dos fatores citados acima ou até mesmo a união de mais de um deles.

“O preenchimento de olheiras é indicado para os casos de pacientes com sulcos abaixo dos olhos (chamado fundo). O ácido hialurônico é usado para dar volume à região. Ele não corrige a pigmentação mais escurecida. Tampouco modifica a vascularização da região. E lembrando que naturalmente temos um sulco, então na grande maioria das vezes o ideal é amenizar e não tentar corrigir completamente.” – Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 – RQE 14991), Dermatologista em Florianópolis/SC.

Como o preenchimento de olheiras corrige o volume da região, mas não os outros fatores associados ao problema, os pacientes podem sentir uma piora no caso. Ele pode ficar mais evidente. Além disso, se colocado de forma errada, com técnica errada, pode sim piorar o aspecto das olheiras, criando até bolsas. 

Dessa forma, é fundamental que os pacientes sejam avaliados corretamente. 

O melhor sempre é associar procedimentos dermatológicos ao tratamento, para amenizar as olheiras. 

Na Clínica Carreirão, os pacientes em busca do preenchimento de olheiras são avaliados cuidadosamente.

Erro de estruturação

Um dos aspectos que também devem ser avaliados na consulta antes do preenchimento de olheiras é a estrutura da face. É importante que o osso malar (maçã da face) consiga sustentar o ácido hialurônico abaixo dos olhos. 

“Fazer o preenchimento de olheiras é como construir uma casa. Você deve primeiro fazer as paredes, para depois colocar o teto. Uma base fraca pode fazer o preenchimento desabar e piorar o problema.” – Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 – RQE 14991), Dermatologista em Florianópolis/SC.

Caso o preenchimento de olheiras seja feito sem sustentação, o ácido hialurônico pode “saltar” e ficar inchado. É comum a formação de bolsas abaixo dos olhos nesses casos.

Por isso, antes de realizar o procedimento, é importante fazer a avaliação e reestruturação da face como um todo. E isso pode envolver a realização de outros procedimentos, como o preenchimento do malar.

Assim, é possível alcançar a harmonização facial desejada e evitar outros transtornos além das próprias olheiras.

Erro de técnica

O erro de técnica mais comum é a realização de preenchimentos superficiais. Dessa forma, em alguns pacientes, é possível ver o ácido hialurônico logo abaixo da pele. E isso não é correto.

“Em condições normais, o ácido hialurônico é transparente. Mas, dependendo da incidência da luz, ele pode apresentar um aspecto azulado, escurecendo a região das olheiras. Esse fenômeno é conhecido como Efeito Tyndall.” – Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 – RQE 14991), Dermatologista em Florianópolis/SC. 

Para evitar todos esses problemas, é muito importante realizar o preenchimento de olheiras com um médico dermatologista experiente e qualificado. A Dra. Marcela Camera Carreirão realiza uma avaliação detalhada do paciente e preza pela qualidade técnica.

Cuide da sua saúde e da sua beleza! Faça o seu procedimento dermatológico na Clínica CarreirãoEntre em contato conosco. 

Sobre o Autor

Marcela Carreirão
Marcela Carreirão
Formada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista, a Dra. Marcela Camera Carreirão (CRM/SC 18545 RQE 10574 e RQE14991) é especialista em Dermatologia pelo Instituto Superior de Medicina Dermatológica de São Paulo e especialista em Cirurgia Facial, Otorrinolaringologia pelo Hospital Paulista.

Possui título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e pela Associação Médica Brasileira (AMB); título de especialista em Otorrinolaringologia pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL CCF) e pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Também é membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), membro titular da Academia Americana de Dermatologia (AAD), membro titular da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial e membro da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *